superalimento gengibre

Já experimentou um chazinho de limão com gengibre? Ou saboreou um delicioso quentão levemente picante nas festas juninas? O Gengibre é muito usado como tempero e ingrediente de sucos e suplementos. Isso porque, além de seu sabor peculiar, essa raíz é, na verdade, um superalimento.

Estrela da culinária asiática, ele não apenas aromatiza ensopados de arroz, molhos agridoces, sobremesas sucos e drinks quentes e frios, mas também pode ser um tratamento eficaz para o alívio de problemas intestinais, náuseas e vômitos. Tudo isso além de ser um ótimo anti-inflamatório e anti-séptico.

Quer saber mais sobre o superalimento gengibre? Continue a leitura com a gente!

O que é o gengibre?

O gengibre (zingiber officinale) é uma planta da família Zingiberaceae, mesma família do cardamomo e do açafrão. Ele cresce como um rizoma horizontal e é muito cultivado na Índia, Jamaica, Fiji, Indonésia e Austrália.

As raízes do gengibre são usadas na cozinha, pelo mundo todo, como uma especiaria capaz de conferir um sabor especial aos alimentos. A planta também é utilizada há séculos na medicina popular para o tratamento de várias doenças, como artrite reumatoide, hipercolesterolemia, doenças neurológicas, asma, constipação, diabetes e até o câncer. Geralmente é aplicada na forma de pasta fresca, pó seco, cristalizado ou em forma de chá.

Estudos científicos atuais descobriram que a função antioxidante do superalimento gengibre desempenha um papel essencial na proteção contra fenômenos de danos oxidativos e tem efeitos terapêuticos em um grande número de patologias, incluindo doenças cardíacas isquêmicas ou a prevenção de certos tipos de câncer.

Entre os antioxidantes contidos no gengibre, existe o grupo de polifenóis, substâncias bioativas encontradas nos alimentos vegetais, cuja presença na dieta diária é considerada essencial para preservar a boa saúde.

Qual a origem do gengibre?

O gengibre é originário de regiões tropicais do Extremo Oriente, de onde seu cultivo se espalhou por quase todas as regiões tropicais do mundo. A raiz fresca da planta pode ser encontrada com facilidade na maioria dos lugares hoje, em feiras e supermercados, mas também é possível adquiri-lo, mais facilmente, desidratado, em pó ou em conserva.

O principal país produtor de gengibre é a Jamaica. Ele também é cultivado para exportação na China, Índia, Nepal, Tailândia, Sri Lanka, Nigéria, Bangladesh, Filipinas, etc.

Quais as propriedades do gengibre?

As muitas virtudes atribuídas ao gengibre são devidas, principalmente, à sua riqueza em óleos voláteis. A planta também possui substâncias fenólicas (gingerols, shogaols e zingerone), enzimas proteolíticas, ácido linoléico, vitaminas (principalmente vitamina B6 e vitamina C) e minerais (cálcio, magnésio, fósforo e potássio).

O gengibre fresco ou seco pode ser usado para dar sabor a alimentos e bebidas e ajudar a reduzir a quantidade de sal e de açúcar. Como é frequentemente consumido em quantidades bem pequenas, ele não adiciona quantidades significativas de calorias, carboidratos, proteínas ou fibras à dieta. Em 100 g de raiz de gengibre fresco, existem:

  • 79 calorias
  • 17,86 g de carboidratos
  • 3,6 g de fibra alimentar
  • 3,57 g de proteína
  • 0 g de açúcar
  • 14 mg de sódio
  • 1,15 g de ferro
  • 7,7 mg de vitamina C
  • 33 mg de potássio

Outros nutrientes encontrados no gengibre são: vitamina B6, magnésio, zinco, folato, riboflavina e niacina.

Quais os benefícios do gengibre para sua saúde?

São muitos os benefícios comprovados do superalimento gengibre para a saúde, o que faz com que os amantes da boa culinária e adeptos de uma vida saudável não abram mão dessa gostosa e nutritiva raiz em suas dietas. Veja alguns males que o gengibre pode ajudar a curar:

  • tonturas e náuseas: reduz os sintomas associados à tontura e é eficiente para acalmar náuseas em mulheres grávidas e pacientes em tratamentos quimioterápicos;
  • halitose: mascar um pequeno pedaço de gengibre em conserva ou chupar balas feitas com a raíz é eficiente para afastar o mau hálito e refrescar a boca pela manhã e após as refeições;
  • distúrbios digestivos: ajuda na eliminação de bactérias e outros microorganismos. Seu uso regular ajuda a melhorar a composição da flora intestinal e evita o aparecimento de deteriorações responsáveis ​​pelo inchaço abdominal;
  • gripes e resfriados: o hábito de beber chá de gengibre é uma boa maneira de se aquecer em épocas e lugares frios e, assim, ajudar a prevenir a gripe. Ele é diaforético, o que significa que promove a transpiração, trabalhando para aquecer o corpo por dentro, e também ajuda a reduzir os sintomas do resfriado;
  • problemas circulatórios: a combinação do estímulo do suor e da corrente sanguínea induz o movimento do sangue para as células de todo o corpo. Isso o torna apropriado para tratar frieiras, hipertensão e febre. O gengibre também inibe a aglomeração de plaquetas, ajudando a prevenir doenças cardiovasculares;
  • doenças degenerativas: o gengibre é rico em antioxidantes, que atrasam o processo de envelhecimento e melhoram as funções cerebrais. Por isso, ele pode ser de grande ajuda para prevenir o Alzheimer e inflamações cerebrais. Um estudo realizado com mulheres, mostrou que o tubérculo melhora a memória de trabalho e o tempo de reação.
  • artrite: os gingerols são responsáveis por propriedades anti-inflamatórias muito potentes. Pessoas com artrite reumatóide podem ter alívio da dor e inchaço e melhorar a mobilidade quando consomem gengibre regularmente;
  • câncer: os gingerols também podem inibir o crescimento de células cancerígenas colorretais, como sugerem os resultados de diferentes estudos. O gengibre também ajuda a prevenir o câncer e a aliviar os efeitos colaterais de tratamentos oncológicos;
  • diabetes: a raiz ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, tendo excelentes propriedades antidiabéticas como foi demonstrado em um estudo de 2015 em que várias pessoas com diabetes tipo 2 consumiam 2 gramas de gengibre em pó por dia e seu nível de açúcar no sangue caía 12%;
  • problemas musculares: o gengibre possui alto teor de magnésio, cálcio e fósforo, minerais que estão ativamente envolvidos na contração muscular e na transmissão de impulsos nervosos. Portanto, é um remédio útil para prevenir e combater espasmos e fraqueza muscular.

Como incluir o superalimento gengibre na alimentação?

É quase um consenso que o aroma fresco, exuberante e picante do gengibre é agradável e compõe bem diferentes tipos de pratos. A raiz combina bem com molho de soja, vinagre, limão, gergelim, azeite e condimentos. Também enriquece o sabor de qualquer alimento que não seja muito forte ou doce, como peixe, arroz, legumes ou frutas.

O gengibre em conserva japonês ou gari, muitas vezes acompanha sushi e maki, conferindo a esses pratos textura crocante e um toque especial para limpar o paladar entre mordidas.

O rizoma deve ser adquirido fresco e livre de rugas. Eles podem ser congelados em pedaços ou ralados, permanecendo frescos por alguns meses.

O gengibre em pó deve ser comprado em pequenas quantidades para manter seu aroma e frescor. Deve ser armazenado em local escuro, fresco e seco.

Quais os cuidados ao consumir gengibre?

Em doses elevadas, o gengibre pode causar gastrite e é desencorajado em caso de úlcera gastroduodenal. Gestantes e mulheres que estão amamentando devem consumir em doses baixas e por curtos períodos. Também não é adequado para crianças menores de 6 anos.

Pessoas com problemas de hipertensão devem ter um aval do médico antes de usar gengibre de forma contínua, pois ele age de forma distinta, podendo não ser benéfico em alguns casos. De qualquer forma, é sempre fundamental ter um acompanhamento médico.

Como plantar gengibre em casa?

Uma planta tão benéfica como o superalimento gengibre merece um lugar especial em nossa casa, não é mesmo? Se você gosta de cultivar seus próprios temperos e ervas ou simplesmente ter um toque verde na sua varanda, pode apostar no gengibre e ter todos os seus benefícios sempre à mão.

Você vai precisar de:

  • 1 pedaço de rizoma de gengibre;
  • vaso com cerca de 40 cm de profundidade e a maior largura possível;
  • 1 parte do húmus de minhoca;
  • 3 partes de terra ecológica.

Na hora de comprar o gengibre, certifique-se de que ele esteja novo e escolha os pedaços que tenham algum broto. Se tiver vários brotos, eles podem ser cortados e colocados em vasos diferentes, gerando várias mudas.

Você também pode plantar o gengibre diretamente no solo do jardim e, 3 ou 4 meses após o início do crescimento, poderá obter alguns pequenos pedaços das raízes para suas receitas e chás.

Para colher, remova o solo um pouco até encontrar um rizoma e corte a quantidade necessária. Cubra bem a raíz com a terra para que ela continue a crescer.

A planta pode ficar dentro de casa ou na varanda desde que haja bastante luz para que ela se desenvolva, mas é melhor que fique em um local que pegue algumas horas de sol diariamente, preferencialmente na parte da manhã ou fim de tarde, pois o sol do meio do dia pode danificá-lo. O ideal e regá-lo com pouca água e frequentemente, certificando-se de que o solo esteja sempre úmido, mas nunca encharcado.

Espero ter ajudado você a entender um pouco mais sobre os benefícios do superalimento gengibre para a saúde, e como tirar o melhor proveito de suas propriedades. Tem alguma dúvida, dica ou experiência com gengibre para compartilhar? Deixe seu comentário!